Jul 7, 2012

aT VitóRia vieWpoinT


É oficial... o verão chegou (será mm??)  e voltámos aos safaris fotográficos!! 
Eu e a Nex somos mt felizes juntinhas!! 
:)
A Nex 5 manda cumprimentos tb... 


OPORTO city.
:)


Porto (Portuguese pronunciation: [ˈpoɾtu]), also known as Oporto in English, is the second largest city inPortugal, after Lisbon, and one of the major urban areas in Southern Europe. Its administrative limits (an area of 41.66 km²/16 sq.mi) include a population of 237,584 (2011) inhabitants distributed within 15 civil parishes. The urbanized area of Porto, which extends beyond the administrative limits of the city, has a population of 1.3 million (2011)[4] in an area of 389 km2 (150 sq mi),[5] making it the second-largest urban area in Portugal. The Porto Metropolitan Area includes approximately 1.7 million people,[6][7][8] and is recognized as a Gamma-level global city by the Globalization and World Cities (GaWC) Study Group, being one of the four cities in the peninsula with global city status (the others being MadridBarcelona andLisbon).
Located along the Douro river estuary in northern Portugal, Porto is one of the oldest European centres, and registered as a World Heritage Site by UNESCO in 1996. Its settlement dates back many centuries, when it was an outpost of the Roman Empire. Its Latin name, Portus Cale,[9] has been referred to as the origin for the name "Portugal," based on transliteration and oral evolution from Latin. In Portuguese the name of the city is spelled with a definite article as "o Porto" (English:  the port). Consequently, its English name evolved from a misinterpretation of the oral pronunciation and referred to as "Oporto" in modern literature and by many speakers.
One of Portugal's internationally famous exports, port wine, is named for Porto, since the metropolitan area, and in particular the adegas of Vila Nova de Gaia, were responsible for the production and export of the fortified wine.
(...)
www.wikipedia.org/wiki/Porto


O miradouro situado na Rua da Bataria da Vitória, com uma vista larga sobre o centro histórico do Porto e Vila Nova de Gaia, é propriedade privada e deverá integrar o projecto que venha a ser desenvolvido nos edifícios contíguos.

Os actuais proprietários garantem, contudo, que têm "a intenção de manter o miradouro aberto ao público", dizendo "não ver qualquer vantagem" em vedar o acesso aos turistas que o procuram.

O miradouro integra um lote que a Fundação para o Desenvolvimento da Zona Histórica do Porto (FDZHP) vendeu, no decurso do processo de liquidação em que se encontra. O espaço e os dois prédios contíguos, com duas frentes, para a Rua de S. Bento da Vitória e a Rua de S. Miguel, onde ainda moram dois inquilinos, foram lançados no mercado com o preço-base de 500 mil euros e seriam adquiridos pela sociedade construtora Maranhão por 576.100 euros. 

Após a aquisição, os proprietários substituíram o portão em ferro que dava acesso ao miradouro (e algumas barras do gradeamento que delimita o terreno), anexando-lhe uma pequena placa onde se lê "propriedade privada".
O facto indignou o geógrafo Rio Fernandes que, num post colocado no blogue A Baixa do Porto, lembrou o carácter histórico do local - o espaço terá sido construído por João Almada em finais do século XVIII e recebeu os canhões liberais das tropas afectas a D. Pedro, em 1832 e 1833 -, argumentando que "há limites" às privatizações e que vedar o acesso ao miradouro é "um atentado".

Ao PÚBLICO, Filipe Sales, da Maranhão, sublinha que o espaço "é privado", mas que a intenção é mantê-lo acessível à população em geral. "Substituímos o portão e mantemos apenas uma das suas folhas fechadas, porque havia quem estacionasse ali o carro. A outra folha está aberta para todos e é nossa intenção continuar a permitir que as pessoas continuem a visitar o miradouro", diz.

Filipe Sales explica, contudo, que o imóvel poderá não ficar nas mãos da Maranhão por muito tempo, já que a empresa está a analisar várias possibilidades para o seu futuro, incluindo a venda do lote. O mais provável, acrescenta, é que ali nasça um investimento hoteleiro, quer o espaço se mantenha na posse da Maranhão ou não. "Há negociações a decorrer e o maior interessado [em comprar o lote] é da área hoteleira. Se formos nós a desenvolver um projecto, também será nessa área", diz.

O responsável defende que, mesmo que o espaço seja vendido, o miradouro deverá permanecer acessível a todos. "Penso que há todo o interesse em manter o espaço aberto."

www.publico.pt/Local/miradouro-da-vitoria-no-porto


"Miradouro da Vitória no Porto deve ficar a pertencer a um hotel."



Será ???!!  Hummm....p qd?
:O)

3 comments:

Manu World said...

+ aki:
http://www.flickr.com/photos/manuworld

Mamã de Salto Alto said...

O Porto é lindo!!

Manu World said...

:O)))
obgd, é mm. bjnhs***